Dólar
Euro
Dólar
Euro
Dólar
Euro

DIA DE FEIRA

Feira solidária garante a segurança alimentar de mais de cinco mil pessoas em Guarapuava

Na tarde desta sexta-feira, o projeto, realizado por três Secretarias Municipais, distribuiu mais de três mil quilos de mantimentos para mais de 500 famílias da cidade em situação de vulnerabilidade.

(Foto: Secom Guarapuava)
(Foto: Secom Guarapuava)

A Prefeitura de Guarapuava promoveu mais uma edição da Feira Solidária, nesta sexta-feira (24 de maio). O projeto, realizado pelas Secretarias de Agricultura, Assistência e Desenvolvimento Social (SEMADS) e Meio Ambiente (SEMAG), em conjunto com a Central de Associações Rurais de Guarapuava (Carmug), promove a troca de material reciclável por alimentos.

A Feira Solidária é realizada nas quintas e sextas-feiras em comunidades e distritos de Guarapuava. A iniciativa, que reúne mais de quinhentas famílias, totalizando mais de cinco mil pessoas amparadas, garante a segurança alimentar de grupos vulneráveis, contribui para a promoção da agricultura familiar local e certifica o descarte correto de resíduos sólidos.

"A gestão de resíduos sólidos é um desafio constante para as cidades. Grande parte do material descartado acaba em aterros sanitários ou poluindo nossos rios e ruas. É aí que entra a importância da reciclagem. Por meio da feira, os catadores podem trocar os materiais que coletam por alimentos frescos e saudáveis. Isso fortalece a autonomia desses trabalhadores, que passam a ter maior poder de permuta para adquirir os produtos que necessitam. Além disso, todo o material coletado na feira é encaminhado para o descarte correto", sublinhou o secretário de Meio Ambiente, Vinícius Kaminski Milazzo.

A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social auxilia no repasse de recursos para o projeto. De acordo com a secretária da SEMADS, Rosa Aparecida Ramos Daniel, as famílias inscritas no CadÚnico, que se encontram em situação de vulnerabilidade social, podem participar da Feira Solidária. "É de suma importância promover este projeto, pois assim, a população auxilia no descarte correto dos materiais recicláveis e a troca pelo alimento traz um complemento para a alimentação das pessoas", informou Rosa.

Itacir José Vezzaro, Secretário de Agricultura, ressaltou a importância de adquirir os alimentos produzidos pela agricultura familiar guarapuavana. "A Feira Solidária é um projeto, dentro da Secretaria da Agricultura, que tem uma importância grande. Nós trabalhamos com a questão ambiental. Todo o material que chega, reciclável ou não, é recolhido e dada a destinação correta. Com isso, evita-se o acúmulo e outros problemas nos fundos de quintais e pátios de casas, por exemplo. A outra importância é que o alimento distribuído na feira vai para famílias carentes. Então, é um projeto social que atende a questão ambiental, atende a questão alimentar das famílias, e atende às questões de compra do produto do pequeno agricultor", salientou Itacir.

Segundo dados do Anuário Estatístico da Agricultura Familiar 2023, divulgado pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (Contag), em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), as propriedades somam 3,9 milhões no País, representando 77% dos estabelecimentos agrícolas brasileiros. Em Guarapuava, a agricultura familiar é responsável por 75% da produção de alimentos.

Em 2023, os 296 agricultores cadastrados na Carmug produziram cerca de 25 toneladas de alimentos para a Feira Solidária. "Na Feira, a gente trabalha a unificação dos projetos. Primeiro é a aquisição de alimentos da agricultura familiar do produtor de Guarapuava. O segundo é retirar o reciclado da rua, da beirada de rio. E o terceiro é alimentar a população carente do Município. A gente trabalha não apenas com a Feira Solidária, mas com a Merenda Escolar municipal e estadual do projeto e compra direta. São cinco projetos. A cada semana, a gente vai em uma comunidade buscar os produtos", destacou o assessor administrativo da Carmug, Léo Acir.

Nesta sexta-feira (24), as Secretarias Municipais distribuíram cerca de três mil quilos de mantimentos. Foram 22 variedades de alimentos, desde verduras, como repolho, mandioca, brócolis, cenoura e abóbora, até proteínas. Pães e bolachas ficaram por conta de panificadoras comunitárias de Guarapuava, e a queijaria Bella Luz garantiu os queijos e laticínios. Os produtos que sobraram serão destinados a hospitais, entidades e organizações não governamentais de Guarapuava.

"A Feira Solidária ajuda os produtores rurais aqui da região com a produção, já que eles não precisam correr atrás do mercado e vender para fora do Município. Com o projeto, a gente consegue comprar bastante coisa. São mais de 16 variedades de produtos frescos e de altíssima qualidade. Para a comunidade, a Feira auxilia os catadores, porque, o valor dos resíduos seria muito baixo e não daria para comprar tanta coisa. Com isso, conseguimos coletar todo esse material reciclado e destiná-lo corretamente", enfatizou o coordenador da Feira Solidária, João Vitor Pimpão

De acordo com o diretor do Departamento de Resíduos Sólidos da SEMAG, Edegar Morando Junior, foram recolhidos mais de duas toneladas de resíduos e reciclados nesta sexta-feira. A arrecadação lotou dois caminhões. "Na Secretaria de Meio Ambiente, recebemos os materiais, fazemos a pesagem e entregamos uma ficha que a pessoa pode trocar por alimentos que vêm da agricultura familiar, dos pequenos produtores. Nós fazemos a destinação correta dos materiais recebidos. Isto é sustentabilidade", sublinhou Edegar.

Nos anos anteriores à pandemia, havia uma regra de cinco quilos de material reciclável em troca de um quilo de alimento. A partir de 2020, pensando na necessidade e insegurança alimentar de pessoas em situações vulneráveis, independentemente da quantidade de material entregue, todos têm direito à mesma sacola de alimentos.

"Cada vez que tem a troca aqui a gente vem participar. Porque há pessoas que na realidade, dependem de uma ajuda, e a gente está aqui para ajudar também. Agradeço o trabalho da Prefeitura que é muito bom. É uma assistência para famílias carentes. Eu fico agradecido pelo bom trabalho que prestam para a comunidade. Nós estamos felizes com isso", contou o operador ecológico, Rosnei Fernandes.

Em razão do feriado de Corpus Christi, não haverá arrecadação de resíduos e distribuição de alimentos na semana que vem. A próxima Feira Solidária será realizada nos dias 6 e sete de junho, quinta e sexta-feira, respectivamente.

Comentários

Leia estas Notícias

Acesse sua conta
ou cadastre-se grátis